Card%2baulas%2bdigitais%2bhistoria%c3%a7%c3%a3o
Banner%2baulas%2bdigitais%2bhistoria%c3%a7%c3%a3o%2b4

Slides Aulas De História - HistoriAção

R$ 250,00
até 5x de R$ 50,00

Slides Aulas De História - HistoriAção

R$ 250,00
insert_drive_file
61 textos
Categoria: Slides Para Professores

O ÚNICO CANAL DE CIÊNCIAS HUMANAS DO YOUTUBE QUE DISPONIBILIZA OS SEUS SLIDES PARA A UTILIZAÇÃO DOS PROFESSORES EM TODO O PAÍS.

Slides Para Aulas de História HistoriAção  são apresentações (slides) da disciplina de História produzidas com diversos programas, tais como o Prezi e Powtoon. Muito mais dinâmico do que o Power Point estas apresentações permitem contar narrativas visuais que prendem a atenção do público. HistoriAção é um canal no YouTube administrado pelo professor Jener Cristiano Gonçalves, Mestre em História pela UFMG. Este canal já possui mais de 90.000 inscritos e as aulas já foram assistidas mais de 7.500.000 vezes. Além disso, as aulas de nosso canal foram aprovadas pelo projeto YouTube Educação, uma parceria entre Google e Fundação Lemann. Ao fazer a assinatura anual de nossas apresentações digitais você terá acesso as mesmas aulas utilizadas para gravar os vídeos de um dos mais conceituados canais de História do Youtube brasileiro. Mais de 1.500 professores já utilizaram as nossas apresentações em suas aulas. Junte-se a nós você também!

 

Aprender 60 Mil Vezes Mais Rápido!

Se você está em busca de resultados mágicos e milagrosos é melhor buscar os cursos de "Leitura Dinâmica e Memorização".

A nossa proposta é bem mais séria e próxima da realidade da maioria das pessoas. Pesquisas recentes em neurociência indicam que o cérebro humano é capaz de processar imagens 60 mil vezes mais rápido do que uma mensagem em forma de texto.

Isto se explica porque a visão foi um dos sentidos mais necessários para que os seres humanos conseguissem sobreviver no passado. Ou você se protegia por meio da identificação visual das ameaças ao seu redor ou então você morria. Simples assim. A linguagem escrita desenvolveu-se muitos milênios depois.

Uma informação visual é processada e interpretada quase instantaneamente pelo cérebro humano. Não há como deixar de explorar este recurso em qualquer processo de comunicação, principalmente se você é um professor ou professora.

 

"Morte Por Power Point". Um dia eu já fiz isso com meus alunos

O ano era 2003. Meu primeiro ano de trabalho em uma escola particular repleta de recursos tecnológicos. Todos os professores utilizavam o Power Point e eu resolvi fazer o mesmo. Meus primeiros slides eram puro texto. Texto lido e depois explicado para os alunos. Um verdadeiro tédio para mim e para eles também.

Slides carregados de texto com a letra bem pequena, sem nenhuma imagem, nenhum gráfico, nenhuma charge, nenhuma tabela. Slides feitos de improviso no melhor estilo Frankenstein. Pega um slide antigo aqui, recorta outro ali, junta tudo e estava pronta a aula do dia seguinte. Um aula chata e sem atrativos. Eu "matava meus alunos por Power Point". Então começavam os bocejos, começava a conversa paralela, na diagonal e na transversal. Enfim, os alunos pararam de se interessar pelas minhas aulas porque eu fiquei dependente do Power Point e não estabelecia uma conexão mais profunda com eles. Aquilo começou a me incomodar profundamente. Então passei a pesquisar sobre o assunto.

Comecei a pesquisar sobre expressão de ideias e acabei encontrando o livro de Normann Kestenbaun, cujo título era "Obrigado pela informação que você não me deu: relevância, concisão e simplicidade na comunicação empresarial". Este livro mudou a minha forma de dar aulas e de produzir Power Points. A evolução foi tão absurda que hoje eu ganho parte de meus rendimentos produzindo apresentações e compartilhando-as com outros professores

E o melhor de tudo. Aprendi a produzir narrativas visuais que proporcionaram me conectar novamente com os alunos durante a aula. O que vale mesmo é o calor das relações humanas. Caso contrário a tecnologia perde o seu sentido dentro da escola.

O que você vai aprender
  • 1) O que é História?
  • 2) Pré-História
  • 3) Formação dos Reinos Bárbaros
  • 4) Formação dos Estados Nacionais
  • 5) Absolutismo Monárquico
  • 6) Mercantilismo
  • 7) União Ibérica e Invasão Holandesa na América Portuguesa
  • 8) Expansão Territorial na América Portuguesa
  • 9) Revolução Inglesa
  • 10) Revolução Industrial
  • 11) Iluminismo
  • 12) Independência dos Estados Unidos
  • 13) Revolução Francesa
  • 14) Período Napoleônico
  • 15) Período Joanino e Independência do Brasil
  • 16) Imperialismo
  • 17) Primeira Guerra Mundial
  • 18) Revolução Russa
  • 19) Nazismo, Fascismo e Totalitarismo
  • 20) Neonazismo: o perfil do neonazista brasileiro
  • 21) Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
  • 22) República Velha (1889-1930) parte 1: organização política e contestações sociais
  • 23) República Velha (1889-1930) parte 2: economia e novos atores sociais
  • 24) República Velha (1889-1930) parte 3: crise e reformulação
  • 25) Era Vargas (1930-1945)
  • 26) Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)
  • 27) Mensalão: estudo de caso sobre o patrimonialismo
  • 28) Primavera Árabe
  • 29) Protestos no Brasil 2013: Movimento Passe Livre e Mobilidade Urbana
  • 30) Sociedade Mineradora
  • 31) Inconfidência Mineira
  • 32) Crise de 1929
  • 33) Socialismo e Movimento Operário
  • 34) Período Regencial (1831-1840)
Objetivo

O nosso objetivo é oferecer aulas digitais que sejam facilitadores visuais para que os professores possam desenvolver conceitos, abordagens interdisciplinares, práticas de leitura e uma visão crítica da sociedade local e global.

Se você está em busca de resultados mágicos e milagrosos é melhor buscar os cursos de "Leitura Dinâmica e Memorização". A nossa proposta é bem mais séria e próxima da realidade da maioria das pessoas. Pesquisas recentes em neurociência indicam que o cérebro humano é capaz de processar imagens 60 mil vezes mais rápido do que uma mensagem em forma de texto. Isto se explica porque a visão foi um dos sentidos mais necessários para que os seres humanos conseguissem sobreviver no passado. Ou você se protegia por meio da identificação visual das ameaças ao seu redor ou então você morria. Simples assim. A linguagem escrita desenvolveu-se muitos milênios depois. Uma informação visual é processada e interpretada quase instantaneamente pelo cérebro humano. Não há como deixar de explorar este recurso em qualquer processo de comunicação, principalmente se você é um professor ou professora.


A realidade é esta aqui

Com o avanço da internet e a chegada de novos recursos tecnológicos nas escolas de todo o Brasil os professores desejam oferecer aulas mais dinâmicas e com recursos digitais para seus alunos. Mas falta tempo para isso.

Cada vez mais as atividades burocráticas tomam o tempo pedagógico dos professores.

Há ainda os deslocamentos de uma escola para outra, pois na maioria dos casos os professores precisam trabalhar em mais de uma escola.

Correções de provas e de trabalhos também consomem uma parcela significativa do tempo de criação dos professores.

Sem falar ainda dos projetos interdisciplinares, que por sua vez, mobilizam toda a equipe de professores de uma escola e, às vezes, são desenvolvidos ao longo de todo o bimestre ou trimestre, até a chegada do dia de sua culminância.

Diante dessas situações acaba sobrando pouco tempo para que os profissionais da educação aprendam a utilizar novos programas para produzir aulas personalizadas. No entanto, os alunos não entendem bem essas situações e vão continuar pedindo aulas dinâmicas e interativas que facilitem a sua aprendizagem. Dessa forma todos os recursos ficam subutilizados (a internet, os equipamentos digitais, a motivação dos professores e a atenção dos alunos). Este círculo vicioso se retroalimenta ano após ano e as aulas tradicionais continuam sendo ofertadas aos alunos. Ocorre então um choque cultural, pois os alunos pertencem a uma nação digital. A comunicação rápida, instantânea e interativa nas redes sociais corre em suas veias. Cada vez mais estes estudantes questionam a educação que lhes é oferecida. Todos nós sabemos que o filtro natural da atenção é o interesse. Só prestamos atenção em alguma coisa quando estamos interessados. Não há como o aluno prestar atenção em aulas que não exploram a sua linguagem natural. Resultado: escassez de atenção e baixos níveis de aprendizagem.



Público alvo

Professores de História.

Descrição do curso
Categoria: Slides Para Professores

O ÚNICO CANAL DE CIÊNCIAS HUMANAS DO YOUTUBE QUE DISPONIBILIZA OS SEUS SLIDES PARA A UTILIZAÇÃO DOS PROFESSORES EM TODO O PAÍS.

Slides Para Aulas de História HistoriAção  são apresentações (slides) da disciplina de História produzidas com diversos programas, tais como o Prezi e Powtoon. Muito mais dinâmico do que o Power Point estas apresentações permitem contar narrativas visuais que prendem a atenção do público. HistoriAção é um canal no YouTube administrado pelo professor Jener Cristiano Gonçalves, Mestre em História pela UFMG. Este canal já possui mais de 90.000 inscritos e as aulas já foram assistidas mais de 7.500.000 vezes. Além disso, as aulas de nosso canal foram aprovadas pelo projeto YouTube Educação, uma parceria entre Google e Fundação Lemann. Ao fazer a assinatura anual de nossas apresentações digitais você terá acesso as mesmas aulas utilizadas para gravar os vídeos de um dos mais conceituados canais de História do Youtube brasileiro. Mais de 1.500 professores já utilizaram as nossas apresentações em suas aulas. Junte-se a nós você também!

 

Aprender 60 Mil Vezes Mais Rápido!

Se você está em busca de resultados mágicos e milagrosos é melhor buscar os cursos de "Leitura Dinâmica e Memorização".

A nossa proposta é bem mais séria e próxima da realidade da maioria das pessoas. Pesquisas recentes em neurociência indicam que o cérebro humano é capaz de processar imagens 60 mil vezes mais rápido do que uma mensagem em forma de texto.

Isto se explica porque a visão foi um dos sentidos mais necessários para que os seres humanos conseguissem sobreviver no passado. Ou você se protegia por meio da identificação visual das ameaças ao seu redor ou então você morria. Simples assim. A linguagem escrita desenvolveu-se muitos milênios depois.

Uma informação visual é processada e interpretada quase instantaneamente pelo cérebro humano. Não há como deixar de explorar este recurso em qualquer processo de comunicação, principalmente se você é um professor ou professora.

 

"Morte Por Power Point". Um dia eu já fiz isso com meus alunos

O ano era 2003. Meu primeiro ano de trabalho em uma escola particular repleta de recursos tecnológicos. Todos os professores utilizavam o Power Point e eu resolvi fazer o mesmo. Meus primeiros slides eram puro texto. Texto lido e depois explicado para os alunos. Um verdadeiro tédio para mim e para eles também.

Slides carregados de texto com a letra bem pequena, sem nenhuma imagem, nenhum gráfico, nenhuma charge, nenhuma tabela. Slides feitos de improviso no melhor estilo Frankenstein. Pega um slide antigo aqui, recorta outro ali, junta tudo e estava pronta a aula do dia seguinte. Um aula chata e sem atrativos. Eu "matava meus alunos por Power Point". Então começavam os bocejos, começava a conversa paralela, na diagonal e na transversal. Enfim, os alunos pararam de se interessar pelas minhas aulas porque eu fiquei dependente do Power Point e não estabelecia uma conexão mais profunda com eles. Aquilo começou a me incomodar profundamente. Então passei a pesquisar sobre o assunto.

Comecei a pesquisar sobre expressão de ideias e acabei encontrando o livro de Normann Kestenbaun, cujo título era "Obrigado pela informação que você não me deu: relevância, concisão e simplicidade na comunicação empresarial". Este livro mudou a minha forma de dar aulas e de produzir Power Points. A evolução foi tão absurda que hoje eu ganho parte de meus rendimentos produzindo apresentações e compartilhando-as com outros professores

E o melhor de tudo. Aprendi a produzir narrativas visuais que proporcionaram me conectar novamente com os alunos durante a aula. O que vale mesmo é o calor das relações humanas. Caso contrário a tecnologia perde o seu sentido dentro da escola.

O que você vai aprender
  • 1) O que é História?
  • 2) Pré-História
  • 3) Formação dos Reinos Bárbaros
  • 4) Formação dos Estados Nacionais
  • 5) Absolutismo Monárquico
  • 6) Mercantilismo
  • 7) União Ibérica e Invasão Holandesa na América Portuguesa
  • 8) Expansão Territorial na América Portuguesa
  • 9) Revolução Inglesa
  • 10) Revolução Industrial
  • 11) Iluminismo
  • 12) Independência dos Estados Unidos
  • 13) Revolução Francesa
  • 14) Período Napoleônico
  • 15) Período Joanino e Independência do Brasil
  • 16) Imperialismo
  • 17) Primeira Guerra Mundial
  • 18) Revolução Russa
  • 19) Nazismo, Fascismo e Totalitarismo
  • 20) Neonazismo: o perfil do neonazista brasileiro
  • 21) Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
  • 22) República Velha (1889-1930) parte 1: organização política e contestações sociais
  • 23) República Velha (1889-1930) parte 2: economia e novos atores sociais
  • 24) República Velha (1889-1930) parte 3: crise e reformulação
  • 25) Era Vargas (1930-1945)
  • 26) Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)
  • 27) Mensalão: estudo de caso sobre o patrimonialismo
  • 28) Primavera Árabe
  • 29) Protestos no Brasil 2013: Movimento Passe Livre e Mobilidade Urbana
  • 30) Sociedade Mineradora
  • 31) Inconfidência Mineira
  • 32) Crise de 1929
  • 33) Socialismo e Movimento Operário
  • 34) Período Regencial (1831-1840)
Conteúdo
Informações gerais
Objetivo

O nosso objetivo é oferecer aulas digitais que sejam facilitadores visuais para que os professores possam desenvolver conceitos, abordagens interdisciplinares, práticas de leitura e uma visão crítica da sociedade local e global.

Se você está em busca de resultados mágicos e milagrosos é melhor buscar os cursos de "Leitura Dinâmica e Memorização". A nossa proposta é bem mais séria e próxima da realidade da maioria das pessoas. Pesquisas recentes em neurociência indicam que o cérebro humano é capaz de processar imagens 60 mil vezes mais rápido do que uma mensagem em forma de texto. Isto se explica porque a visão foi um dos sentidos mais necessários para que os seres humanos conseguissem sobreviver no passado. Ou você se protegia por meio da identificação visual das ameaças ao seu redor ou então você morria. Simples assim. A linguagem escrita desenvolveu-se muitos milênios depois. Uma informação visual é processada e interpretada quase instantaneamente pelo cérebro humano. Não há como deixar de explorar este recurso em qualquer processo de comunicação, principalmente se você é um professor ou professora.


A realidade é esta aqui

Com o avanço da internet e a chegada de novos recursos tecnológicos nas escolas de todo o Brasil os professores desejam oferecer aulas mais dinâmicas e com recursos digitais para seus alunos. Mas falta tempo para isso.

Cada vez mais as atividades burocráticas tomam o tempo pedagógico dos professores.

Há ainda os deslocamentos de uma escola para outra, pois na maioria dos casos os professores precisam trabalhar em mais de uma escola.

Correções de provas e de trabalhos também consomem uma parcela significativa do tempo de criação dos professores.

Sem falar ainda dos projetos interdisciplinares, que por sua vez, mobilizam toda a equipe de professores de uma escola e, às vezes, são desenvolvidos ao longo de todo o bimestre ou trimestre, até a chegada do dia de sua culminância.

Diante dessas situações acaba sobrando pouco tempo para que os profissionais da educação aprendam a utilizar novos programas para produzir aulas personalizadas. No entanto, os alunos não entendem bem essas situações e vão continuar pedindo aulas dinâmicas e interativas que facilitem a sua aprendizagem. Dessa forma todos os recursos ficam subutilizados (a internet, os equipamentos digitais, a motivação dos professores e a atenção dos alunos). Este círculo vicioso se retroalimenta ano após ano e as aulas tradicionais continuam sendo ofertadas aos alunos. Ocorre então um choque cultural, pois os alunos pertencem a uma nação digital. A comunicação rápida, instantânea e interativa nas redes sociais corre em suas veias. Cada vez mais estes estudantes questionam a educação que lhes é oferecida. Todos nós sabemos que o filtro natural da atenção é o interesse. Só prestamos atenção em alguma coisa quando estamos interessados. Não há como o aluno prestar atenção em aulas que não exploram a sua linguagem natural. Resultado: escassez de atenção e baixos níveis de aprendizagem.



Público alvo

Professores de História.

Disponível nos Combos:

Combo Slides + Neurociência

Este combo foi criado especialmente para atender os professores de História. São dois cursos pelo preço de um. O primeiro curso diz respeito ao serviço "Slides Aulas de História -...Saiba Mais

2 Cursos

R$ 407,00 R$ 250,00